22 de set de 2010

TÔ TIRIRICA!


Ainda bem que as eleições estão chegando e, segundo dizem os situacionistas, não teremos segundo turno. Ainda bem, porque eu, e acho que também as pessoas com um mínimo de senso critico, não agüentamos mais tantas demonstrações de idiotice, ignorância, fanfarronice, falta de compostura, e outros adjetivos mais que sirvam como de definição do que somos obrigados a ouvir e assistir no malfadado Horário Eleitoral Gratuito Obrigatório que, se tivesse alguma utilidade, não nos seria imposto de cima para baixo.
Aquela quase uma hora de baboseiras só serve para confirmar que nossos candidatos a cargos eletivos se são uma amostragem do que o povo brasileiro tem de pior e que nossos partidos políticos são organizações sem nenhum outro objetivo que não seja “tumar o puder” e se dar bem ás custas dos idiotas que os elegerem. O velho Chico Anísio é quem tem razão, todos eles são candidatos a Justo Veríssimo, aquele seu personagem que dizia: “Eu que me arrumar. O povo que se exploda!”
Li, no jornal “O Globo” de hoje, 14 de setembro de 2010, que “Tiririca está na frente em SP”. Achei a notícia tão estarrecedora que tomo a liberdade de transcrevê-la aqui.
Maior colégio eleitoral do Brasil, São Paulo pode dar ao candidato Francisco Everardo Oliveira, o titulo de deputado federal mais votado no estado. Segundo a assessoria do Ibope, pesquisa do instituto mostra que o interprete de “Fiorentina” está em primeiro lugar na preferência do eleitorado entre todos que disputam uma vaga na Câmara dos Deputados. Tiririca (PR) disse ao TRE/SP não ter bens declarados. No horário eleitoral gratuito na TV, ele diz querer ajudar os necessitados, inclusive a própria família. E se pergunta: “O que é que faz deputado federal? Não sei. Vote em mim que depois eu te conto.”
Taí o exemplo do que seja a maior parte dos candidatos que pedem nosso voto. Esse, pelo menos não mente quando diz que não tem bens mas pretende arrumar a família. Grande exemplo de cidadania.
Quanto ao fato de Tiririca liderar a intenção de voto dos paulistas não me surpreende pois é conhecimento de todos que o Frank Aguiar, o Cãozinho dos Teclados, foi o dos mais votados na eleição de 2006. Lembram:
O cantor de forró Frank Aguiar desbancou o ex-governador de São Paulo Luiz Antonio Fleury Filho na disputa por uma vaga na Câmara dos Deputados. O músico foi o segundo candidato mais votado do PTB e garantiu uma cadeira na Câmara. Frank Aguiar recebeu 144.701 votos.” Isso sem esquecer as tantas vezes que Sampa elegeu o “honesto” Paulo Maluf.
São esses fatos que me fazem desacreditar que nosso país algum dia chegue a ser algo mais que um paiseco de terceiro mundo povoado por uma gente alegre, simpática, fraterna e... irresponsável. Um país predestinado ao fracasso.
Que Deus nos ajude para que eu esteja enganado e sejamos, realmente, “Brasil – O País do Futuro” previsto por Stefan Zweig e não o “Brasil – O Pais do Futuro... no Passado” que se delineia todos os dias diante dos nossos olhos..
Até esse futuro chegar, se chegar, continuo tiririca com os Tiriricas da política.

3 comentários:

  1. Eu vejo uma certa semelhança entre o fenômeno Tiririca e o Rebolation:
    A grande força de divulgação deles é justamente a galera que, escandalizada, os critica.
    Estes, na ânsia de mostrar-se superiores à 'massa ignara', acabam fazendo um desserviço à cultura, à política e ao próprio fígado, reverberando algo que, por si só, não passaria de uma piada sem maiores consequências ou um fenômeno localizado.
    Pense bem: você conheceu o Créu, Surra de Bunda ou o Rebolation de alguém que gostava ou de alguém que achava ruim?
    Quem reverberou e alavancou o Tiririca foram os que os tão avidamente o criticam - sem isso ele seria apenas mais um excêntrico no meio das centenas que se candidatam.
    Ele pode ser palhaço mas não é bobo não...

    ResponderExcluir
  2. O grande estrago é que, antes, na pior das hipóteses, poderíamos ter no congresso um 'deputado palhaço' - note bem, para o bem ou para o mal, o cidadão por trás do personagem é uma incógnita.
    Agora, com toda a moral e mídia que ele está tendo dos detratores, ele vai ter uma avalanche de votos, trazendo com ele a reboque deputados que não tiveram votos o suficiente para se eleger, mas se beneficiarão da proporcionalidade da legenda.

    ResponderExcluir
  3. E digo mais, a candidatura do Tiririca segue uma lógica mais perversa ainda.

    Ele não está atrás do simples 'celebrity vote', ele se encaixa mais na categoria 'voto de protesto engraçadinho', na praia do Cacareco em 55 e do Macaco Tião em 88, quando as pessoas votaram em animais do zoológico para cargos eletivos.

    Você acha mesmo que quem vota no Tirircia vota nele porque ele é o palhaço da televisão? Ou votarão nele por que tem em seu lema a crítica política "Tiririca, pois pior que está não fica"?

    O problema é que a 'piada' embutida neste 'voto de engraçadinho' vai durar muito mais do que o período eleitoral.

    ResponderExcluir

Quer dar pitaco? É aqui. Obrigado por seu comentário.