11 de nov de 2011

INCIDENTE DE TRÂNSITO


(PIADA QUE VIROU ESQUETE)

Numa via expressa um POLICIAL RODOVIÁRIO, usando uma motocicleta, para um carro de luxo dirigido por um ADVOGADO.
POLICIAL RODOVIÁRIO – O senhor estava dirigindo em excesso da velocidade. Por favor, sua licença?
ADVOGADO - Eu não tenho, foi suspensa no dia em que eu cometi minha última infração.
POLICIAL - Eu posso ver os documentos do veículo?
ADVOGADO - O carro não é meu, eu roubei.
POLICIAL -  (Surpreso) O carro é roubado?
ADVOGADO - É, mas acabo de lembrar que os documentos estão no porta-luvas. Eu vi quando fui guardar minha arma lá.
POLICIAL - Você tem uma arma no porta-luvas?
ADVOGADO - Sim. Eu guardei ela lá depois de matar o proprietário e esconder o corpo na mala do carro.
POLICIAL - Cara, você está carregando um cadáver no porta-malas?...
ADVOGADO - Estou sim, senhor.
Ao escutar esta última resposta, o POLICIAL, muito assustado, chama sua Central pelo rádio, relatando o que está acontecendo e em menos de cinco minutos a área está cercada de policiais armados, comandados por um CHEFE prepotente que já chega apontado sua arma para o ADVODADO:
CHEFE - Mãos ao alto! Teje preso!
Tranqüilamente o ADVOGADO, obedece.
CHEFE - Cadê seus documentos?
ADVOGADO - Pois não... Aqui estão eles.
CHEFE - Quem é o proprietário do veículo?
ADVOGADO - Sou eu… Ó, tome... Minha identidade... Minha licença... os documentos do carro com o certificado de propriedade...
CHEFE - (Dá uma olhada rápida e se assusta com a carteira da OAB) Tá bom... Abre devagar o porta-luvas, prá gente ver se tem alguma arma.
ADVOGADO - Pois, não. (o advogado abre o porta-luvas lentamente e o chefe verifica que não há nenhuma arma lá)
CHEFE - O Doutor, por favor, poderia abrir o porta-malas?
ADVOGADO - Tudo bem. (o advogado abre, e está completamente vazio sem nenhum corpo lá dentro)
CHEFE - (Intrigado, olhando a mala vazia enquanto coça a cabeça). Amigo, quer dizer, Doutor... Eu não to entendendo porra nenhuma... O rodoviário aí nos informou que o senhor...  Doutor... não tinha nenhum documento, que tinha roubado o carro, que tinha uma arma no porta-luvas e ainda por cima carregava um cadáver no porta-malas.
ADVOGADO -... E aposto que o sacana ainda falou que eu estava em excesso de velocidade... Que f.d.p. mentiroso... Que situação constrangedora... E tudo só porque eu não topei dar uma “bola” prá ele, um “agradinho”.

(PANO RÁPIDO)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer dar pitaco? É aqui. Obrigado por seu comentário.